“Disse mais o Senhor a Moisés: Fala aos filhos de Israel, dizendo: Aos quinze dias deste mês sétimo será a Festa dos Tabernáculos ao Senhor, por sete dias. Ao primeiro dia haverá santa convocação: nenhuma obra servil fareis. Sete dias oferecereis oferta queimada ao Senhor; no dia oitavo tereis santa convocação, e oferecereis ofertas queimadas ao Senhor; é reunião solene, nenhuma obra servil fareis.” (Levítico 23:33-35)

É com grande alegria que convidamos você a participar desta grande festa que representa proteção, provisão e descanso de Deus para nossas vidas! Essa festa é para honrar a Deus, o único digno de receber toda nossa adoração hoje e sempre.

A festa dos Tabernáculos ou Festa da Colheita é uma das três grandes festas ordenadas pelo Senhor durante a saída do Egito, assim como a Páscoa e Pentecostes.

A palavra “tabernáculo” origina-se da palavra latina “tabernaculum” que significa “uma cabana, um abrigo temporário”. No original hebraico a palavra equivalente é Sucá, cujo plural é Sucot.
A ordenança de Deus para que o povo habitasse em tendas traz conotações de caráter moral, social, histórico e espiritual. Sucot traz a lembrança da peregrinação pelo deserto e o sustento pelo Senhor. A fragilidade das tendas que o povo construía era uma lembrança da fragilidade do povo quando peregrinava os 40 anos no deserto a caminho da Terra Prometida. Sucot é um símbolo de proteção divina. Em momentos de aflição pedimos ao Todo-Poderoso que nos “abrigue em sua tenda” (Salmo 27:5). Mais ainda: Sucot é um chamado contra a vaidade e um apelo à humanidade. Mesmo o mais poderoso dos homens deve viver durante sete dias numa habitação primitiva e modesta, conscientizando-se da impermanência das posses materiais. Mais ainda, deve compartilhar essa moradia com todos os desprivilegiados a seu redor: “seus servos, o estrangeiro, o orfão e a viúva que estiverem dentro dos seus portões” (Deuteronômio 16:14).
Se na Páscoa e em Pentecostes nós celebramos o cumprimento da vinda do Senhor Jesus Cristo e posteriormente da descida do Espírito Santo, em Tabernáculos celebramos o reencontro definitivo entre Cristo e a sua Noiva.
O centro da Festa de Tabernáculos é Jesus, o Messias! Chegará sua segunda vinda, quando se cumprirá integralmente o que profeta Zacarias predisse: “Todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano, para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, e para celebrar a Festa dos Tabernáculos” (Zacarias 14:16-21).
Todas as nações, todos os anos, subirão a Jerusalém para celebrarem a Festa de Tabernáculos com o dono da Festa, o Rei Jesus! Podemos imaginar a cena grandiosa: o grande cortejo de sacerdotes vestidos de branco, os levitas, os instrumentos, o derramamento da água no altar… E o Senhor Jesus, em pé, perto das grandes colunas do templo observando. Ele, o Eterno, o Filho de Deus, o Logos, a Palavra Viva que se fez carne, Aquele quem falou através da Lei dada no Monte Sinai para que se observasse a Festa dos Tabernáculos. Agora Ele estará ali, em pessoa, vendo a observância de uma ordenança Sua.

Por isso, todos os discípulos se reunirão para agradecer a Deus pela colheita abundante que Ele determinou sobre nós neste ano; participe e celebre este novo tempo com toda a Igreja do Senhor Jesus!

Neste ano, Deus preparou um presente histórico para a Igreja do Senhor Jesus: a Festa de Tabernáculos com todas as igrejas de aliança juntas! São mais de 3 mil adoradores juntos celebrando ao Eterno!

Celebração da Festa de Tabernáculos:

Dia 18 de outubro, às 19h30
e dia 19 de outubro, às 9h e às 18h
na Sede da Igreja Cristã Vida

Dia 25 de outubro, às 19h30
e dia 26 de outubro, às 9h e às 18h
nas Igrejas Cristã Vida em Jd. Jacira, Santo Amaro, Morro do Samba, Jd. Gazuza, Paineiras, Ruyce e V. São Pedro.